Quem tem endometriose sabe o quanto esse distúrbio pode ser doloroso! O quadro clínico está associado às alterações hormonais do ciclo menstrual e ocorre quando o endométrio, tecido que reveste a parte interna do útero, cresce para fora desse órgão, causando um processo inflamatório que pode causar dor pélvica, cólicas intensas, fadiga, dor durante relações sexuais, distúrbios gastrointestinais e até infertilidade.
O tratamento normalmente se dá por meio de modulação hormonal, mas por possuir comportamento de doença autoimune, uma alimentação equilibrada aliada à prática de atividades físicas pode auxiliar a reduzir os sintomas. Por isso, inclua em seu plano alimentar os vegetais verdes (espinafre, alface), os crucíferos (repolho, brócolis), sementes de linhaça, frutas secas, quinoa, arroz integral, lentilha, grão de bico, óleo de coco, azeite de oliva e muita água.
E exclua os alimentos inflamatórios (industrializados, açúcar refinado, farinha branca, refrigerantes, glúten, gordura hidrogenada ou trans), pois poderão agravar os sintomas da endometriose. Por fim, cabe dizer que se você sobre com esse problema, o ideal é procurar por ajuda o quanto antes!