Apesar de já bem conhecida, a síndrome da fadiga crônica ainda é um diagnóstico pouco valorizado entre os profissionais da saúde. É uma enfermidade cujas causas são bem conhecidas, e é caraterizada pelo mal funcionamento das glândulas adrenais, podendo causar diversos sintomas. As glândulas adrenais são peças fundamentais do sistema endócrino, responsável pela regulação da pressão arterial, ciclo do sono, metabolismo de minerais (sódio e potássio, por exemplo) e carboidratos. Alterações nas glândulas podem, além de afetar a imunidade do indivíduo, deixa-lo mais susceptível ao estresse e cansaço.
Pacientes com síndrome da fadiga crônica podem apresentar dificuldade em acordar, mesmo tendo dormido bem; cansaço persistente capaz de atrapalhar o convívio pessoal e vida profissional; grande irritabilidade; e sistema imunológico enfraquecido. Outros sintomas muito comuns são uma maior disposição noturna, baixa concentração, olheiras, tontura, compulsão por café e outros estimulantes. Alguns pacientes podem se queixar de dores de cabeça e nas articulações, baixo desejo sexual e compulsão alimentar.
Se algum desses sinais surgir, procure ajuda médica. Testes hormonais podem ajudar no diagnóstico da fadiga. Quando mais cedo isso acontecer, mais eficiente será o tratamento!